Relógios de Sol

>> PÁGINA EM CONSTRUÇÃO <<

“Não há um relato de como e onde surgiu pela primeira vez mas tudo indica que os antepassados do relógio de sol terão aparecido na Mesopotâmia por volta de 2400 AC. Mas é no Egipto que aparece o mais antigo relógio de sol conhecido e por sinal portátil. É do reinado do Faraó Thutmosis III por volta do ano 1500 AC. Só por volta de 700 AC é que aparecem os primeiros relógios de sol na Grécia e pelo ano de 660 AC encontramos no Egipto relógios de sol mais elaborados”. Eng. Pedro Almeida

Eng. Pedro Almeida

Pedro Almeida: Ex-professor da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu, astrónomo amador e Gnomonista.  Tem como hobby a construção de modelos de relógios de Sol e ultimamente, a construção destes em pedra calcária estando já alguns instalados ou em vias de instalação. São cerca de 150 relógios de sol que podem ser apreciados no Protomuseu, em Vila Chã de Sá. O seu fundador e também autor de praticamente todos os relógios expostos, começou a pensar em todo este trabalho aos 12 anos de idade. “O meu avô materno disse-me que se eu passasse de ano me oferecia um relógio. Eu passei e ele cumpriu a promessa. Era um relógio em madeira que ainda tenho hoje”, contou Pedro Gomes de Almeida, recordando que o encontrou quando se mudou para Vila Chã de Sá.

Neste workshop, para além de irmos ouvir as tantas histórias deste mestre, vamos também aprender a construir o nosso próprio relógio de sol… e lá em casa, já podem faltar as pilhas, que saberemos sempre que horas são – a não ser que o céu esteja nublado!

Os Workshops são de pré-inscrição obrigatória.
Preço:
Este ano, a inscrição nas iniciativas desta programação, terá um contributo associado:
•⁠ ⁠1 kg de frutas/legumes da época.
ou
•⁠ ⁠1 hora de voluntariado numa causa à vossa escolha, realizada onde, quando e como preferirem. Se precisarem de sugestões, teremos algumas disponíveis. Não precisamos de saber a vossa escolha, mas até gostaríamos! 😃

>> Informações e pré-inscrições: tiomanel@quintaoficina.pt

Esta atividade está inserida no projeto da 5ªOficina: “MOST’24 – Programação Internacional de Mediação Cultural em Meio Rural”, uma iniciativa apoiada pelo Município de Viseu, através do EixoCultura.